close

POSSÍVEIS IRREGULARIDADES: Assembleia em pé de guerra com a Energisa abre CPI e intensifica fiscalização

Deputado colocou gabinete à disposição para receber denúncias contra a empresa

PAINEL POLÍTICO

18 de Setembro de 2019 às 18:02

POSSÍVEIS IRREGULARIDADES: Assembleia em pé de guerra com a Energisa abre CPI e intensifica fiscalização

FOTO: (Divulgação)

A Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE-RO) aprovou nesta quarta-feira (18) a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar possíveis irregularidades nos serviços prestados pela Energisa Rondônia, empresa responsável pela distribuição de energia nos 52 municípios.

 

A CPI, segundo o poder legislativo, terá cinco membros e duração de 90 dias (podendo ser prorrogada). Ao todo, 11 deputados declararam apoio à investigação.

 

Em nota, a ALE afirma que tem recebido inúmeras denúncias de consumidores contra a Energisa, “principalmente no que se refere a aferição da energia elétrica consumida, cortes de energia em finais de semana, incorrendo contra legislação estadual e ainda a troca de medidores sem prévio aviso”. Estas reclamações teriam sido formalizadas aos deputados, nos últimos dias.

 

Com a autorização para criação da CPI, o presidente da Assembleia, Laerte Gomes (PSDB), ficará responsável por fazer a instalação da Comissão e em seguida os partidos irão indicar os membros.

 

A Energisa afirma que recebeu com ‘estranheza’ as denúncias de irregularidades e que, até então, não recebeu reclamação nesse sentido. A empresa afirma que está à disposição da Comissão.

 

 

Comissão de fiscalização

 

O deputado Jair Montes apresentou uma proposta, que foi aprovada por unanimidade, para a criação de uma comissão para fiscalizar as ações abusivas da Energisa. Entre as queixas mais comuns estão a suspensão do fornecimento em horários impróprios e finais de semana, o que impossibilita o religamento, além de atos truculentos contra consumidores.

 

 

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS